Mesmo com a crise política e seus desdobramentos, o Senado Federal tem conseguido avançar com uma pauta indispensável ao desenvolvimento econômico e do mercado de trabalho nacional: a modernização trabalhista.

Nesta terça-feira (06), a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou por 14 votos a 11, o relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) ao Projeto de Lei da Câmara (PLC) 38/2017 do texto da reforma trabalhista. Agora, o trâmite na casa legislativa seguirá mais alguns passos. A matéria precisa ser analisada na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), depois na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e, só então, poderá ir a Plenário.

A expectativa do setor de comércio e serviços é grande em torno da modernização trabalhista já que ela estimulará a geração de empregos formais no país. “Estamos com as esperanças renovadas ao constatar que apesar da crise, as instituições têm conseguido prosseguir com as mudanças que tem real potencial de impulsionar a economia e desenvolvimento do país. Acreditamos na independência de atuação das instituições para que o Brasil avance”, defende o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

 

O texto do senador Ferraço foi aceito de acordo com o parecer aprovado pela Câmara dos Deputados no fim de abril, ou seja, na íntegra e sem mudanças. A expectativa do relator é que o PLC seja votado em Plenário entre os dias 20 e 23 de junho.

 

Fonte: CNDL

Última atualização (Seg, 12 de Junho de 2017 08:13)